Pedro Nuno Santos quer “intensificar” os “bons exemplos” no setor da Habitação

12 Fevereiro 2024, 16:08 Não Por Lusa

O secretário-geral do PS afirmou hoje que o trabalho desenvolvido no Entroncamento na reabilitação de imóveis devolutos do Estado para arrendamento acessível é um “bom exemplo” de um processo em curso que é necessário intensificar a nível nacional.

“Este é um bom exemplo de como devemos trabalhar em Portugal. A administração central desenha as políticas, a administração central financia e as autarquias fazem aquilo que fazem melhor que a administração central: saber quem precisa, identificar as necessidades e depois executar, com rendas que são claramente acessíveis, muito abaixo das rendas que são praticadas no mercado, metade, às vezes um terço”, adiantou Pedro Nuno Santos.

O líder do PS visitou hoje as obras de reabilitação de 40 fogos unifamiliares no Bairro Vila Verde, no Entroncamento, distrito de Santarém, destinados a famílias da classe média, com um primeiro lote de 24 habitações em arrendamento acessível, de tipologia T2, sido entregue no início do mês ao Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU), entidade que tem a decorrer até 18 de março os concursos para a respetiva atribuição, mediante sorteio.

O secretário-geral do PS quis mostrar no Entroncamento que “há um país em obra, a construir, a reabilitar”, tendo indicado ser preciso “intensificar” um trabalho que já começou na Habitação para “responder às necessidades” da população.

No caso do Entroncamento, Pedro Nuno Santos visitou um “bairro devoluto há 20 anos”, com as “obras concluídas” e prontas a ser entregues “em março”, tendo afirmado que este é um “bom exemplo” de como reabilitar património devoluto e colocá-lo no arrendamento acessível.

Os contratos de arrendamento dos 24 fogos no Entroncamento destinam-se à habitação permanente e os valores dos T2 oscilam entre os 294 euros e os 350 euros mensais.

“Mostra que há um país em obras, que está a fazer casas, a reconstruir casas para a nossa população e era isso que eu queria mostrar. Queria mostrar que é um trabalho que começou, que está a começar a dar frutos, que é preciso intensificar”, afirmou Pedro Nuno Santos, tendo feito notar que as “casas existem porque houve programas que o Governo lançou”.

A empreitada que Pedro Nuno Santos hoje visitou no Entroncamento decorre num bairro do Estado que estava devoluto há várias décadas e representa um investimento de cerca de 3,7 milhões de euros, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

Tendo iniciado em fevereiro de 2023, e com um prazo de execução de 360 dias, a obra resulta de uma intervenção direta do Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU), que será o senhorio e irá arrendar as casas depois de um concurso no âmbito do arrendamento acessível, já aberto para famílias de rendimentos intermédios.

“Este é mesmo um dos caminhos, porque não existem balas de prata para resolver o problema da Habitação, mas este é um dos caminhos que importa intensificar para conseguir dar resposta às necessidades da nossa população”, reiterou o secretário-geral do PS.

Num distrito que vai eleger nove deputados para o parlamento e onde o PS elegeu cinco deputados nas últimas legislativas, Pedro Nuno Santos, que se fez acompanhar do presidente do município do Entroncamento, Jorge Faria (PS), e dos candidatos pelo círculo eleitoral de Santarém, onde Alexandra Leitão é cabeça de lista, disse contar com uma “grande vitória” no dia 10 de março.

“Queremos ter uma grande vitória e nós contamos com o povo de Santarém para ganharmos e colocarmos Portugal na senda do crescimento e do progresso económico e social”, em contraponto a uma “direita sombria” e “divisionista”, afirmou. 

“Não podemos parar e não podemos correr o risco de uma direita sombria, de uma direita divisionista, ganhe o nosso país. Nós precisamos é de cuidar do Portugal inteiro e para os socialistas os problemas de uns são os problemas de todos”, concluiu.

________________

________________________