Missa celebra 300 anos da construção da Igreja Matriz de Samora Correia

Missa celebra 300 anos da construção da Igreja Matriz de Samora Correia

9 Novembro 2021, 17:02 Não Por Redacção

A celebração de uma Missa, no próximo domingo, 14 de Novembro, irá celebrar os 300 anos da construção da Igreja Matriz de Samora Correia.

A celebração decorrerá no adro da Igreja, e será evocativa dos três séculos de história da Igreja Matriz de Samora Correia.

Iniciada a sua construção em 1718, após a destruição da igreja ali existente, foi inaugurada em 1721, albergando a padroeira da freguesia Nossa Senhora de Oliveira.

Mandada construir pelo Pároco Freire Henrique da Silva Araújo, da Ordem de Sant’lago da Espada, para além de ser dedicada à padroeira, Nossa Senhora de Oliveira, consagra-se também, como monumento em honra do Apóstolo São Tiago Maior e da Ordem.

A sua área coberta é de 650 m2 e o átrio vedado com gradeamento de ferro, é de 374,5 m2. Mede 14 metros, aos quais acrescentamos mais 6 metros da base das torres sineiras até ao pináculo.
Os azulejos que revestem as suas paredes interiores, datam do século XVIII e fazem alusão ao Apóstolo São Tiago. Sobre um grande painel de jarras e florões de variada qualidade, desenham-se quadros da vida de São Tiago Maior, em dois maravilhosos e extensos painéis centrais, de 16 metros de comprimento por quase 2 de altura, ladeados de outros menores.

A partir do século XII, São Tiago é apresentado como Apóstolo, pregando e ensinando, guerreiro geralmente a cavalo e com escudo, ou peregrino com manto, bordão, cabaça, largo chapéu e bolsa de couro presa á cintura. Só na Igreja de Samora Correia, ele aparece representado como peregrino-guerreiro, ao mesmo tempo, combatendo a pé, com hábito de peregrino e escudo de guerreiro. Os painéis estão simplesmente assinados por P.M.P.

Os terramotos de 1755 e 1909, provocaram vários danos, entre os quais o derrube de muitos azulejos, que depois foram colados á sorte e sem nexo, tendo portanto, ficando os painéis um pouco desfigurados. O altar-mor é em talha dourada, com a imagem da padroeira; do lado oposto ao da epístola, encontra-se um peque no retábulo com a imagem de Nossa Senhora do Ó. Imóvel de Interesse Público, incluindo os altares de talha dourada, os painéis de azulejo e as pinturas murais.

Nos últimos anos foi alvo de uma restauração que visou dar nova vida à fachada, bem como aos painéis de azulejos, madeiras e talha dourada.


Fotografia: Direitos Reservados