Homenagem e exposições assinalam sexto aniversário da Falcoaria como Património da Humanidade (com Fotos)

2 Dezembro 2022, 9:22 Não Por João Dinis

A Falcoaria Real de Salvaterra de Magos recebeu esta quinta-feira, 1 de Dezembro, as comemorações do sexto aniversário da declaração da Falcoaria como Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

A cerimónia dividiu-se em três actos, a inauguração da exposição “A Falcoaria, a minha Arte e a minha Terra” por Ana Teresa Pontífice, a Homenagem ao Professor Filipe Themudo Barata e a inauguração da exposição “Falcoaria no Mundo”.

Seis anos depois da Falcoaria tem alcançado o feito de ser consagrada como Património da Humanidade, a Falcoaria de Salvaterra de Magos, que foi recuperada e é agora um ponto de atracção turístico do concelho, mais que duplicou as suas visitas e actividades desde 2016, ano em que a UNESCO reconhecer a actividade como um património a preservar e promover.

O Presidente da Câmara de Salvaterra de Magos, Hélder Esménio, voltou reiterou todo o apoio do Município à falcoaria, seja através da promoção e divulgação da actividade, da manutenção do espaço da Falcoaria ou da preservação das espécies que ali também é efectuada.

Presente esteve também Rita Jerónimo, Subdiretora-Geral do Património Cultural para a área dos Museus, Palácios e Monumentos, em representação do Ministério da Cultura que destacou o empenho colocado pela autarquia na preservação da Falcoaria, salientando que o trabalho é acompanhado pela Direcção Geral do Património Cultural (DGPC) com bastante entusiasmo, até porque é uma actividade que coloca em prática temas que estão na ordem do dia, somo a sustentabilidade e a preservação do meio ambiente.

Destaque também para as intervenções de António Carapuço, Presidente da Associação Portuguesa de Falcoaria, que agradeceu o trabalho desenvolvido pelo homenageado e a preservação da actividade realizada pelo Município de Salvaterra de Magos.
Natália Correia Guedes um breve resumo histórico da falcoaria em Portugal e no Mundo, actividade que se realiza desde os primórdios da humanidade.

No final o Presidente da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos homenageou o Professor Filipe Themudo Barata, cujo trabalho foi fundamental para que a Falcoaria fosse “consagrada” pela UNESCO, como Património Cultural.
Historiador e grande investigador do passado de Salvaterra de Magos, o Professor da Universidade de Évora revelou ainda que foi graças à Tese de Mestrado de Patrícia Leite que se percebeu que se podia mesmo candidatar a Falcoaria a Património da Humanidade.

Patentes nos espaços expositivos da Falcoaria Real estão agora duas interessantes mostras.
Na Galeria de Exposições podemos ver uma exposição de pintura de Ana Teresa Pontífice, que além de magníficas pinturas de animais, expôs também os trabalhos realizados para ilustrar o livro infanto-juvenil “O Principezinho em Salvaterra de Magos”.

A exposição “Falcoaria no Mundo” reúne num só espaço 11 dos 24 países onde a falcoaria é praticada, dando a conhecer um pouco da sua história e a importância da falcoaria em cada um dos países.

Laura Macedo e Marcelo Silva abrilhantaram o momento com um apontamento musical.

____________________________________________________________