Lezíria do Tejo espera “impacto muito positivo” com aeroporto no concelho de Benavente

15 Maio 2024, 18:52 Não Por Lusa

O presidente da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT), Pedro Ribeiro, disse hoje estar satisfeito com a localização do novo aeroporto, referindo que vai ter um “impacto muito positivo” no território da Lezíria.

“Estamos muito satisfeitos com o facto de a localização ser na Lezíria. Havia municípios que entendiam que deveria ser mais de um lado ou no outro, mas estamos satisfeitos e é importante que o aeroporto fique na nossa região”, disse hoje o presidente da CIMLT à Lusa.

O primeiro-ministro, Luís Montenegro, anunciou na terça-feira que o Governo aprovou a construção do novo aeroporto da região de Lisboa no Campo de Tiro de Alcochete, seguindo a recomendação da Comissão Técnica Independente (CTI).

O Campo de Tiro da Força Aérea, também conhecido como Campo de Tiro de Alcochete (pela proximidade deste núcleo urbano), fica maioritariamente localizado na freguesia de Samora Correia, no concelho de Benavente (distrito de Santarém), tendo ainda uma pequena parte na freguesia de Canha, já no município do Montijo (distrito de Setúbal).

O município ribatejano de Benavente, com cerca de 521 quilómetros quadrados, fica na fronteira do distrito de Santarém com a Área Metropolitana de Lisboa (AML) e a menos de meia hora de entrada em Lisboa.

Para o presidente da CIMLT, “o aeroporto vai ser importante para a Lezíria e vai dar uma boa resposta ao país”.

Na Lezíria, duas regiões estavam sinalizadas como potenciais localizações para uma nova infraestrutura aeroportuária: Santarém e Benavente.

Apesar destes dois municípios terem opiniões diferentes no que diz respeito à localização do novo aeroporto, Pedro Ribeiro garante que a CIMLT está satisfeita com a decisão final, referindo que sempre defenderam “que a localização deveria ser na lezíria, numa destas duas localizações, e foi isso que o governo acabou por fazer”.

O autarca considera ainda que a localização do novo aeroporto, maioritariamente localizado em Benavente, vai potenciar o crescimento económico da Lezíria do Tejo.

“O aeroporto terá naturalmente impacto naquilo que é o crescimento dos números da Lezíria do Tejo. Numa lógica de grandes números, o impacto vai acontecer” disse Pedro Ribeiro.

Apesar do impacto positivo que o aeroporto possa ter na região, o autarca alertou que é necessário melhorar um conjunto de infraestruturas para dar resposta ao novo aeroporto, nomeadamente ao nível das acessibilidades, “que irão ter uma maior pressão com esta infraestrutura”.

“Há um conjunto de problemas, sobretudo no que diz respeito às acessibilidades (…) e às vias de comunicação, porque não é com estradas nacionais que se vai garantir o acesso ao aeroporto”, acrescentou.

Além do novo aeroporto, que se vai chamar Luís de Camões, o Governo decidiu também mandatar a Infraestruturas de Portugal para concluir os estudos para a construção da Terceira Travessia do Tejo e da ligação ferroviária de alta velocidade Lisboa-Madrid.

________________

_____________________

_____________________