Campanha “Os Idosos são Valiosos” alerta para preconceitos da velhice

26 Julho 2021, 10:57 Não Por Redacção

A campanha “Os Idosos são Valiosos”, lançada este domingo, por ocasião do Dia Mundial dos Avós, pelo Núcleo de Estudos de Geriatria (NEGERMI) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) com o objectivo de sensibilizar e alertar para os preconceitos existentes contra a velhice.

 “A nossa espécie passou a viver muitos mais anos, a sociedade evoluiu. O conceito de que ser velho é ser doente e que a maioria dos velhos são doentes, dependentes e dementes, confirmou-se afinal como preconceito. Os velhos de hoje são, na maioria, autónomos, sem compromisso cognitivo e sentem-se saudáveis” afirma João Gorjão Clara, Coordenador do NEGERMI.

A campanhaconta com a participação de 39 personalidades de diversos quadrantes da sociedade portuguesa e, com a participação especial de Sua Santidade o Papa Francisco.

Marcelo Rebelo de Sousa, Adriano Moreira, Ana Zanatti, António Araújo, Enoque João, Eugénio Fonseca, Eunice Munhoz, Fátima Lopes, Fernando de Pádua, Fernando Nobre, Francisco Carvalho Guerra, Heidi Gruner, Isabel Galriça, João Lázaro, João Araújo Correia, João Gorjão Clara, Joana de Vasconcelos, José Cid, José Jorge Letria, Lia Marques, Luis Represas, Manuela Eanes, Miguel Guimarães, Marcia Kinzner, Maria Jorge Nogueira Rocha, Maria da Glória Garcia, Marcos Bastinhas, Nuno Grande, Paulo Almeida, Polybio Serra e Silva, Rafaela Verissimo, Ricardo Fernandes, Rui de Carvalho, Rui Nabeiro, Simone de Oliveira, Sofia Duque, Vitor Feytor Pinto e Victor Melícias aceitaram dar o seu testemunho nesta campanha.

“O envelhecimento populacional provocou algumas perturbações nas sociedades ditas evoluídas. Sendo esta realidade indiscutível, os preconceitos persistiram e os velhos são marginalizados, ignorados nas qualidades e conhecimentos com que uma longa vida os enriqueceu. Considerados obsoletos, fora do tempo actual, são marginalizados, violentados física e psicologicamente pela sociedade e muitas vezes pelos familiares que lhes devem a vida, os cuidados, as preocupações, o esforço do trabalho, a dádiva de uma imensa ternura que os acompanhou enquanto cresciam.

Com esta iniciativa a NEGERMI pretende também demonstrar que a especialidade de Geriatria não se limita apenas à intervenção na prevenção e tratamento das doenças, mas tem também o dever de se preocupar com o reconhecimento dos direitos, a defesa do bem-estar e da qualidade de vida dos idosos” conclui João Gorjão Clara.