17 detidos pela PJ em operação que passou pelo Vale do Sorraia. 2 detidos em Benavente

5 Maio 2021, 10:33 Não Por João Dinis

A Polícia Judiciária (PJ) efectou na manhã desta quarta-feira 5 de Maio, uma mega operação denominada “Bad Way”, que visava o combate às fraudes com MBWay, que segundo o comunicado oficial culminou com 17 indivíduos detidos, 11 homens e 6 mulheres, sobre os quais recaem fortes suspeitas de serem autores de centenas de crimes de burla informática agravada, falsidade informática e acesso ilegítimo, em crimes praticados através da utilização da aplicação MBWay.

A operação decorreu após inquérito tutelado pelo Ministério Público de Estremoz, centrou-se nas regiões de Lisboa e Alentejo, tendo a mesma passado pelo Vale do Sorraia, com dois, um homem e uma mulher, dos 17 detidos a residirem em Benavente, junto à Câmara Municipal.

Segundo a PJ “a estratégia investigatória visou a localização e agrupamento das várias participações que se encontravam dispersas por várias comarcas do país, por forma a demonstrar a actividade delituosa reiterada e organizada, conjugando e analisando toda a informação de forma a identificar e localizar os agora detidos.”

Na sequência das detenções e buscas domiciliárias a PJ apreendeu objectos relacionados com a prática criminosa e/ou adquiridos da forma ilícita.

Os detidos, que  respondem por crimes como burla informática, falsidade informática, acesso ilegítimo e branqueamento de capitais, contactavam as vítimas que colocam anúncios de venda de produtos e bens na Internet, conseguindo depois aceder às contas bancárias destes, através do sistema MBWay.
Segundo é possível apurar de momento, os suspeitos terão burlado mais de um milhar de vítimas, de norte a sul do país, algumas das quais terão sido lesadas em milhares de euros.

Esta operação, que foi a segunda no espaço de uma semana, foi levada a cabo pela Unidade de Combate ao Cibercrime da Polícia Judiciária, com o apoio da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Polícia de Segurança Pública (PSP).

Os detidos serão agora presentes a  primeiro interrogatório judicial, para aplicação da medida a coação considerada adequada.