USF de Samora Correia convidada a gerir toda a saúde do concelho de Benavente

20 Julho 2021, 16:00 Não Por João Dinis

A Unidade de Saúde Familiar (USF) de Samora Correia pode vir a gerir a saúde primária em todas as freguesias do concelho de Benavente, dirigindo também o Centro de Saúde de Benavente e o posto de saúde de Santo Estevão, revelou o Presidente da Câmara Municipal de Benavente, Carlos Coutinho, esta segunda-feira na reunião de câmara.

O assunto já havia sido abordado na última Assembleia Municipal, com o autarca a referir que endereçou à USF de Samora Correia o convite para vir a assumir a gestão da saúde no concelho de Benavente, uma vez que no Centro de Saúde de Benavente se vive uma situação crítica e que coloca em risco os cuidados de saúde primários da população das freguesias de Benavente, Santo Estevão e Barrosa.

A Câmara Municipal de Benavente, que apresentou já a proposta aos responsáveis da USF de Samora Correia, aguarda agora uma resposta por parte destes, de modo a apresentar a solução ao Ministério da Saúde, com o objectivo de dar uma resposta mais imediata às necessidades da população, que neste momento tem somente uma médica nos quadros do centro de saúde, bem como um número mínimo de enfermeiros que não conseguem dar uma resposta adequada a todos os pacientes.

Neste momento às questões mais urgentes tem servido o Serviço de Atendimento Permanente – urgências (SAP), com médicos tarefeiros, que não respondem às necessidades da população nos serviços básicos de saúde.

Apesar da Administração Regional de Saúde (ARS) ir lançar em breve um novo concurso público, para a inclusão de 4 médicos no Centro de Saúde de Benavente, mas tendo em consideração que no passado um concurso semelhante ficou deserto, a autarquia colocou a possibilidade da USF de Samora Correia vir a gerir toda a saúde primária no concelho,

Para Carlos Coutinho, a Unidade de Saúde Familiar de Samora Correia é a todos os níveis exemplar, e o facto de ser tipo B, “indicado para equipas com maior amadurecimento organizacional onde o trabalho em equipa de saúde familiar seja uma prática efectiva e que estejam dispostas a aceitar um nível de contratualização de patamares de desempenho mais exigente”, além de permitir uma melhoria significativa na remuneração dos profissionais de saúde, o que seria um aliciante para a contratação de mais médicos, alarga também a possibilidade destes virem a assumir a gestão de todo o concelho de Benavente.

A possibilidade da USF de Samora Correia vir a gerir a saúde dos cerca de 30 mil utentes do concelho de Benavente, poderia ser uma medida transitória, de modo a que se pudesse encontrar uma solução para o Centro de Saúde de Benavente, sem que as pessoas ficassem privadas dos seus cuidados básicos e fundamentais.

Esta situação verificada no Centro de Saúde de Benavente, “é culpa dos diversos governos”, refere Carlos Coutinho, pois não têm procurado dar resposta às necessidades do país no que diz respeito aos cuidados primários de saúde, formando menos médicos do que os que são necessários, entendendo este que terá que existir uma alteração urgente nas políticas da saúde.

Contestação pode mesmo subir de tom

O Presidente da Câmara Municipal de Benavente, questionado pelo vereador Ricardo Oliveira (PSD), admitiu mesmo a hipótese da contestação subir de tom.
Ricardo Oliveira deixou no ar a sugestão de que se fosse preciso fazer uma manifestação junto ao Centro de Saúde de Benavente seria o primeiro a avançar, ideia que foi acompanhada pelo autarca, que espera no entanto, que não seja necessário esses actos reivindicativos e que as autoridades encontrem uma solução para a população, que acredita pode mesmo passar pela USF de Samora Correia.

Médico chega a Santo Estevão nos primeiros dias de Agosto

O médico que já se encontra contratado pela ARS de Lisboa e Vale do Tejo para ocupar a vaga no Posto médico de Santo Estevão deverá chegar nos “primeiros dias de Agosto”, revelou Carlos Coutinho.
O Posto Médico de Santo Estevão está também a ser alvo de uma intervenção, que o irá dotar de melhores condições para o corpo clínico e utentes, pelo que até lá o espaço funcionará em locais alternativos.