Protecção Civil alerta para chuva e trovoadas e deixa recomendações

13 Setembro 2021, 2:32 Não Por Redacção

A Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) emitiu um alerta à população, tendo em conta o agravamento das condições meteorológicas, tendo em conta a previsão de chuva e trovoadas, para segunda e terça-feira, 13 e 14 de Setembro.

Para o dia de hoje o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê aguaceiros, por vezes fortes e acompanhados de trovoada, em especial no litoral oeste e Algarve, estendendo-se gradualmente às restantes regiões a partir da tarde, bem como a ocorrência de fenómenos extremos de vento.

Na terça-feira, além da chuva e trovoadas é também esperada uma descida de temperatura.

Face às previsões de precipitação forte e persistente a ANEPC alerta que poderão ocorrer cheias e inundações nas áreas urbanas mais impermeabilizadas, com destaque para a área metropolitana de Lisboa e para a cidade de Setúbal, existindo ainda o risco de subida da altura dos rios e ribeiras do Algarve, com os subsequentes problemas de inundações nas zonas urbanas e mais impermeabilizadas desta região do país.

Em função das condições meterológicas anunciadas a ANEPC alerta para a possibilidade das seguintes ocorrências:

· Piso rodoviário escorregadio por eventual formação de lençóis de água;

· Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;

· Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;

· Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;

· Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;

· Danos em estruturas montadas ou suspensas;

· Possibilidade de queda de ramos ou árvores, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;

 · Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência;

· Possíveis acidentes na orla costeira;

 · Desconforto térmico na população pela conjugação da temperatura mínima baixa e do vento, nomeadamente nas terras altas.

Dadas as previsões a Autoridade de Protecção Civil alerta para a tomada das seguintes medidas preventivas:

· Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;

· Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade;

· Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;

· Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em locais de vento mais forte;

· Ter especial cuidado com a fixação de estruturas temporárias;

 · Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a estes fenómenos;

 · Proceder à remoção de máquinas e alfaias agrícolas, bem como de animais das zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a fenómenos de alagamentos e inundações

· Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.