Presidente da Federação de Ciclismo desafia municípios do Vale do Sorraia a apostarem no ciclismo

4 Agosto 2021, 15:44 Não Por João Dinis

Delmino Pereira, Presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) desafiou os municípios da Lezíria do Tejo a apostarem mais no ciclismo e a unirem-se em torno de aqui realizar uma etapa da Volta a Portugal em Bicicleta, numa região que tem excelentes condições para a prática da modalide.

É uma região que tem muita história, no ciclismo”, começa por nos referir acrescentando que “há muitos corredores nesta região da Lezíria do Tejo, se somássemos todos os vencedores das Voltas, talvez seja a região que tem mais vencedores da Volta a Portugal, é uma região com tradição, não só de atletas como também de público que gosta de ciclismo”.

Fazendo um balanço da Volta a Portugal de Cadetes, que se disputou em seis concelhos do distrito de Santarém, passando ainda por muitos mais, o Presidente da FPC, refere que “este projecto das voltas a Portugal é um projecto de formação, a Volta de Cadetes já vai na 13ª edição, a Volta a Portugal do Futuro vai na 15ª edição e vamos organizar também este ano na primeira edição da Volta a Portugal Feminina e portanto nós temos assim a necessidade de andar de terra em terra”, deixando no ar a hipótese de mais corridas de realizarem nas estradas do Vale do Sorraia.

Delmino Pereira salienta que a região “tem estradas excelentes, com pouco trânsito, seguras, em concelhos que gostam de ciclismo e que o apoiam.”

Fazendo um balanço da prova, este começar por afirmar que “tivemos aqui uma corrida segura, divertida, os pais puderam vir ver os seus filhos, os seus atletas, os seus clubes, vieram acompanhar… isto é um produto muito interessante, é uma corrida feliz, estes miúdos estão felizes e essa felicidade é contagiante”, “foi muito bom, porque tivemos muito tempo fechados em casa e agora tivemos aqui uma corrida que é uma alegria para todos…”, concluiu.

O antigo ciclista e agora responsável máximo pela federação da modalidade lança o desafio à região para afirmar o ciclismo, desafiando mesmo os municípios e a Comunidade Intermunicipal a garantir a realização de uma etapa da Volta a Portugal.

As regiões intermunicipais devem assumir etapas da volta, porque ter só uma chegada só um município é que suporta esses custos e no fundo o ciclismo é território, o ciclismo não tem fronteiras. Uma etapa não tem fronteiras, traça os concelhos todos”, aproveitando também o facto do concelho de Coruche ter agora o Campeão Nacional de Ciclismo, que este entende poder vir a ser uma mais valia na dinamização da modalidade na região, “o José Neves tem sido o corredor com mais vitórias este ano, é um grande corredor e está com uma excelente época, campeão nacional e neste momento é uma vedeta do ciclismo nacional, é de Coruche e que estes resultados possam servir de incentivo aos jovens e à região para apostar no ciclismo.”