Portugal ultrapassa os três milhões vacinas administradas

27 Abril 2021, 20:20 Não Por Redacção

Portugal ultrapassou os três milhões de vacinas contra a covid-19 administradas desde o final de 2020 e 76% dos idosos com mais de 80 anos já têm a vacinação completa, anunciou hoje a Direção-Geral da Saúde.

Segundo o relatório semanal da DGS, um total de 2.225.338 pessoas já receberam a primeira dose da vacina, 207.404 na última semana, o que equivale a 22% da população portuguesa.

Com a vacinação completa com as duas doses estão agora 827.839 portugueses, mais 137.844 do que na semana anterior e que representam 8% da população, indicam os dados da DGS.

No total, já foram administradas 3.053.177 doses desde que se iniciou o plano de vacinação contra a covid-19, em 27 de dezembro de 2020.

O relatório anterior, divulgado em 20 de abril, indicava que 20% da população portuguesa já tinha recebido a primeira toma e 7% tinha a vacinação completa.

Por grupos etários, destacam-se os idosos com mais de 80 anos, com 93% (626.562 pessoas) já vacinados com uma dose e 76% (517.155) com as duas doses da vacina contra o vírus SARS-CoV-2.

Segue-se a faixa etária dos 65 aos 79 anos, na qual 53% (844.255) já recebeu a primeira toma, percentagem que baixa para apenas 5% (72.768) no que se refere à vacinação completa.

De acordo com a DGS, 17% (369.790) das pessoas entre os 50 e os 64 anos também já foram vacinadas com uma dose, enquanto 4% (86.455) já receberam as duas tomas da vacina contra a covid-19.

Por regiões, Lisboa e Vale do Tejo é onde foram administradas mais vacinas, com um total de 1.020.507 doses, seguindo-se o Norte (987.632), o Centro (608.063), o Alentejo (183.943), o Algarve (110.424), a Madeira (81.673) e os Açores (58.044).

No que se refere à cobertura vacinal da população por regiões, o Alentejo lidera na vacinação completa (12%), enquanto o Centro apresenta 11% de população vacinada, a Madeira 9%, seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo, Norte, Algarve e Açores, todas com 7%.

No total, Portugal já recebeu 3.400.260 vacinas, tendo sido distribuídas pelos postos de vacinação e pelas regiões autónomas dos Açores e da Madeira 3.039.329 doses.

Hoje, no final da reunião sobre a evolução da pandemia no país, que juntou peritos de saúde pública e políticos, a ministra da Saúde reconheceu que as entregas das farmacêuticas e os limites de idade para administração em duas das quatro vacinas disponíveis (AstraZeneca e Janssen) podem condicionar o plano de vacinação contra a covid-19.

“Há dois temas que condicionam o plano: as entregas – em que temos tido contratempos e algumas situações complexas que deram origem a medidas mais musculadas da Comissão Europeia, e a situação de algumas vacinas que, no seguimento da vigilância farmacológica, foram consideradas possivelmente associadas a fenómenos adversos extremamente raros”, explicou Marta Temido.

Na mesma reunião, o coordenador da ‘task force’ responsável pelo processo de vacinação, Gouveia e Melo, revelou que as condicionantes relacionadas com idade poderão limitar a administração de meio milhão de vacinas neste segundo trimestre e cerca de 2,7 milhões no terceiro trimestre, atrasando dessa forma o cumprimento da meta dos 70% de proteção da população para o final do verão.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.122.150 mortos no mundo, resultantes de mais de 147,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.970 pessoas dos 834.991 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da DGS.

Relatório-Vacinação-11

Agência Lusa