Portugal recruta 400 trabalhadores marroquinos para as campanhas agrícolas de 2023

28 Setembro 2022, 22:19 Não Por Redacção

A Agência Nacional de Promoção do Emprego e de Competência, serviço público de emprego do Reino de Marrocos assinou esta quarta-feira, com a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) e Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) um memorando de entendimento que permitirá integrar cerca de 400 trabalhadores marroquinos na campanha agrícola em Portugal do próximo ano.

Para Luís Mira, Secretário-Geral da CAP, foi “com muita satisfação que a CAP assina este protocolo.”
“Através deste instrumento de cooperação bilateral entre Portugal e Marrocos, é instituído um projecto piloto que prevê a vinda de 400 trabalhadores daquele país para o sector agrícola”
, salienta.

Este protocolo permitirá debelar alguma da falta de mão de obra existente, “como é sabido, a agricultura enfrenta enormes constrangimentos de mão de obra que afectam de forma transversal o sector. Este é um primeiro passo no bom sentido e a CAP espera sinceramente que este projeto-piloto possa ser um sucesso, porque permitirá abrir a porta a soluções mais duradouras e estáveis de mobilidade laboral de que a agricultura precisa. Soluções essas que permitirão, também, regular adequadamente as situações de trabalho dos migrantes.”

“Ao protocolar-se estas situações através do IEFP, que desempenha nesta ocasião um papel ativo de ajuda às empresas – o que merece público reconhecimento – está não só a agilizar-se processos que muitas vezes são burocráticos e demorados, como a obtenção de vistos de trabalho, por exemplo, mas está a dar-se também um sinal importante de que estes trabalhadores têm de ser tratados com respeito e dignidade. Portugal pode e deve ser um exemplo na forma como trata os trabalhadores migrantes que recebe e este protocolo vai, justamente, nesse bom sentido”, conclui o responsável.

______________________________________

_______________________________________________________________