PJ detém grupo criminoso que aterrorizava população de Salvaterra de Magos

28 Abril 2021, 10:22 Não Por João Dinis

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta quarta-feira, 28 de Abril, o fim da operação “Bandoleiros”, que culminou com a detenção de um grupo criminoso composto por 8 pessoas, seis homens e duas mulheres, com idades compreendidas entre os 18 e os 70 anos,  todos sem ocupação profissional conhecida e sobre os quais recaem fortes indícios da  prática de dezenas de crimes de furto qualificado, detenção de arma proibida e tráfico de armas.

De acordo com a Directoria de Lisboa e Vale do Tejo da PJ, “os detidos faziam parte dum grupo criminoso, agora desmantelado, que residia e actuava na região da Lezíria do Tejo, na zona de Salvaterra de Magos, e se dedicava ao furto em residências, em estabelecimentos comerciais e industriais e em viaturas de transporte de mercadorias, locais de onde furtava, entre outros bens, electrodomésticos, produtos agrícolas, maquinaria, detergente, cobre e combustível, incluindo aquele que as viaturas pesadas continham no depósito”, sendo que a investigação se iniciou em 2019, “ na sequência de informações que davam conta da actividade do grupo naquela zona rural que, no entanto, raramente era denunciada pelas vítimas ou pelas populações, por temerem represálias, uma vez que os suspeitos também ali residiam e eram conhecidos.”

As detenções foram efectuadas na sequência de nove buscas domiciliárias, nas residências dos suspeitos, de onde foram também recuperados uma considerável quantia de bens apreendidos, e valores, provenientes dos furtos, nomeadamente televisores, frigoríficos, micro-ondas, geradores, motosserras, corta-sebes, embalagens de detergente e treze jerricans de 20 litros com combustível, entre outros objectos.

A operação, que foi feita em colaboração com equipas cinotécnicas da Guarda Nacional Republicana, culminou também com a apreensão de oito espingardas, caçadeiras e carabinas, dois revólveres, mais de quatrocentas munições de diversos calibres e várias armas brancas.

A PJ, que irá hoje apresentar os suspeitos a tribunal, para primeiro interrogatório judicial, no qual serão sujeitos à aplicação das medidas de coação processual adequadas, acredita que com esta acção terá desarticulado uma actividade delituosa permanente, particularmente danosa e progressivamente inquietante, sobretudo para a população daquela zona.