Órgãos autárquicos de Mora tomam posse com o objectivo de “trabalhar para um futuro melhor para o concelho” (Com Fotos)

Órgãos autárquicos de Mora tomam posse com o objectivo de “trabalhar para um futuro melhor para o concelho” (Com Fotos)

19 Outubro 2021, 9:33 Não Por João Dinis

O auditório do Parque de Feiras em Mora recebeu esta segunda-feira o acto de tomada de posse da Câmara e Assembleia Municipal de Mora, para o mandato 2021-2025, numa cerimónia que fica marcada pela viragem na gestão da autarquia, com o PS a conquistar a maioria do executivo municipal, após as eleições de 26 de Setembro.

Numa cerimónia emotiva e com o auditório repleto, Paula Chuço foi empossada como Presidente da Câmara Municipal de Mora, tendo a seu lado os vereadores socialistas, Hugo Carreiras e António Ferreira.

Na cerimónia tomaram igualmente posse os vereadores eleitos pela CDU, Marco Calhau e Luís Branco.

Paula Chuço começou o seu discurso por parabenizar todos os eleitos, agradecendo depois aos munícipes a confiança demonstrada no seu projecto. “Fizemos história, pela primeira vez no concelho de Mora, outra força política vai ter oportunidade e a responsabilidade de liderar o rumo do concelho nos próximos quatros anos”, frisou, deixando no entanto um agradecimento pelo trabalho desenvolvido “ao longo destes cerca de 45 anos”.

“É com muita honra, orgulho e acima de tudo humildade que estou hoje aqui”, disse a autarca, escuntando depois uma sonora ovação, que se repetiu ao longo de todo o tempo em que a autarca esteve a discursar.

“Sabemos que serão quatro anos exigentes, durante os quais a população irá, com todo o direito, exigir resultados”, anunciado uma política de proximidade e diálogo, “ouvir será uma das minhas primeiras medidas”, disse.

Paula Chuço deu ainda destaque aos trabalhadores da Câmara Municipal a quem deixou um voto de confiança a todos, “esta equipa confia nos trabalhadores”, “estamos certos que continuarão a ser a base de uma autarquia estável e organizada”, disse.

“Este será um mandato para o futuro”, afirmou, anunciando ainda que pretendem alterar as políticas de investimento e turismo para o concelho, bem como deu ênfase às políticas locais, anunciado já o reforço do cartão do idoso e o cartão municipal jovem, anunciando a criação de condições para a fixação dos mais jovens.

A autarca terminou o seu discurso a agradecer a todos os que acreditaram e integraram o projecto do PS para o concelho de Mora, com quem conta para trabalhar para um futuro melhor para o concelho de Mora.

CDU conquista liderança da Assembleia Municipal

Apesar do PS ter conquistado a maioria também nas eleições para a Assembleia Municipal, fruto da Lei em vigor a CDU acabou por conquistar a presidência da Assembleia Municipal, fruto da votação em que também votam os Presidentes das Juntas do concelho, que fez com que a lista B, encabeçada por Luís Simão Matos, saísse vencedora, com 10 votos, contra 9 da lista A, que era encabeçada pelo socialista Luís Casanova.

A Assembleia Municipal será assim presidida por Luís Simão Matos, tendo como primeiro secretária Maria Salgueiro e como segundo secretário Carlos Biléu.

Luís Casanova, candidato à presidência da Assembleia Municipal, usou da palavra para tecer duras críticas à CDU, pois no seu entender não respeitaram aquilo que foi a vontade dos eleitores, usando a lei conquistar o órgão municipal.

O agora deputado municipal frisou que no seu entendimento o justo, tendo em conta os resultados eleitorais, “que expressaram a vontade do povo”, seria que o PS ficasse com a presidência da Assembleia Municipal e a CDU com os dois secretários, “uma solução equilibrava e que respeitava a vontade do povo e a maioria comunista na Assembleia”, frisou, lamentando que assim não fosse.

Luís Casanova teme que esta decisão da CDU “não augure nada de bom” para o mandato, uma vez que podem ser uma “força de bloqueio na Assembleia Municipal”.

Por sua vez Luís Simão Matos deixou uma palavra de descanso a todos. “Estamos aqui todos para trabalhar, e não para ser uma força de bloqueio”, referindo ainda que deixou 4 Milhões “no banco” e um concelho “como o nosso”. “O que desejamos é que façam um bom trabalho”, concluiu.