Oficiais da GNR repudiam diferenciação entre polícias

2 Dezembro 2023, 11:02 Não Por Redacção

A Associação Nacional de Oficiais da Guarda (ANOG) veio este sábado, 2 de dezembro, repudiar a diferenciação entre polícias, que no seu entendimento está a ser promovida pelo Governo, após as últimas notícias veiculadas sobre a temática.

Para a ANOG é impensável que todos os militares da venham a ser tratados como polícia de segunda categoria” , quando “lideramos Homens e Mulheres de primeira.”
“Temos muito orgulho nos valores que caracterizam os Guardas e Sargentos que comandamos com toda a dedicação”, pelo que a ANOG refere que os Oficiais não aceitam a consideram “mais do que ofensivo, humilhante, a diferenciação negativa que atenta contra a família militar e contra a generalidade da família policial.”

“Todos os agentes de segurança pública merecem respeito e consideração a par da dignidade que, mais do que reconhecida, deve ser inequívoca e inquestionável.”

“A todos os militares da Guarda e em particular aos Oficiais, pretendemos deixar uma palavra de apreço, consideração e apoio. Não estão e não estarão sozinhos nestes tempos que se afiguram muito difíceis. Não podemos continuar a tolerar o total desrespeito pela nossa dignidade”, afirmam em comunicado.

“Aos que nos governam e àqueles que nos poderão vir a governar, só esperamos que a sensatez e a razoabilidade estejam presentes nas próximas decisões. Que a perceção do estado a que chegámos pelo poder político não ocorra tarde demais, com consequências irreversíveis e impactantes na nossa sociedade”, salienta a ANOG, que pretende assim ver equidade entre todas as polícias, quer em termos remuneratórios, quer de condições de trabalho.

A ANOG salienta ainda que apesar de representar uma “categoria discreta”, se encontra bastante “atenta”, afirmando-se pela “diferença, eloquência e elevação”. defendendo o povo, “mesmo que ninguém nos defenda.”

________________

________________________