Oeiras vai acolher projeto do consórcio Magellan 500 para mobilidade elétrica voadora

25 Maio 2023, 14:38 Não Por Lusa

O município de Oeiras vai acolher um novo projeto de mobilidade elétrica aérea para transporte de passageiros, promovido pelo consórcio Magellan 500, que pretende instalar vertiportos naquele concelho no âmbito da construção de um aeroporto em Santarém.

“Magellan 500 escolhe Oeiras para desenvolver uma solução de mobilidade elétrica voadora para transporte de passageiros”, anunciou hoje a Câmara Municipal de Oeiras, presidida pelo independente Isaltino Morais.

Em comunicado, aquela autarquia do distrito de Lisboa informou que o novo projeto de mobilidade elétrica aérea “pretende instalar vertiportos para base de aeronaves eVTOL – veículos elétricos com descolagem vertical”.

O acordo entre a Câmara de Oeiras e o consórcio Magellan 500 vai ser formalizado na próxima quarta-feira, 31 de maio, no Salão Nobre do Palácio Marquês de Pombal, e “prevê o desenvolvimento das ações necessárias e adequadas ao estudo, projeção, criação e implementação de infraestruturas nas áreas da nova mobilidade aérea elétrica em Oeiras”.

Entre as intervenções previstas está a construção de “uma infraestrutura aeroportuária para operação de aeronaves elétricas e outras de descolagem e aterragem vertical, e respetivas infraestruturas de apoio”, lê-se no comunicado.

Na perspetiva da Câmara Municipal de Oeiras, que tem vindo a apostar cada vez mais em novas soluções de mobilidade sustentável, as novas tecnologias assumem um papel cada vez mais relevante “num mundo em rápida evolução e que enfrenta o desafio das alterações climáticas”.

“Para os próximos anos, antevê-se o aparecimento de novas soluções de mobilidade vertical elétrica com base em aeronaves eVTOL (Electric Vertical Take-Off and Landing – Descolagem e Aterragem Vertical Elétrica)”, afirmou o município.

Essas novas soluções deverão combinar a eficiência na utilização dos espaços de aterragem / descolagem, designados de vertiportos; a sustentabilidade da energia elétrica, sobretudo renovável; o funcionamento silencioso da propulsão elétrica e a conveniência da rapidez de deslocação a velocidades de cruzeiro anunciadas geralmente acima dos 250 quilómetros por hora.

De acordo com a câmara, “estas soluções de mobilidade vertical elétrica serão, certamente, formas de transporte de excelência, uma vez que a rapidez e conveniência são prioritárias, nomeadamente no mercado do turismo ou logística, com uma rápida ligação de acesso a aeroportos”.

O projeto Magellan 500 prevê ainda a construção de um aeroporto na região de Santarém, que integra o Grupo Barraqueiro, e pretende desenvolver, numa primeira fase, os vertiportos que servirão de rápido acesso entre Oeiras e aquela região.

“Posteriormente, pretende-se o funcionamento em rede com outros vertiportos que se venham a estabelecer no território nacional”, adiantou o município de Oeiras.

Para a Câmara Municipal de Oeiras, este acordo “é mais um passo” do município na “longa tradição de liderança na área da inovação e tecnologia”, uma vez que se enquadra na estratégia municipal de captar novas soluções de mobilidade elétrica, sendo também uma prioridade a oposta no ambiente e sustentabilidade.

________________

_____________________