Ministério da Saúde não considera necessária urgência aberta 24 horas em Coruche

6 Dezembro 2021, 15:59 Não Por João Dinis

 

 

Com o Serviço de Atendimento Permanente (SAP) de Coruche, encerrado entre as 20 e as 8 horas, desde Março de 2020, várias têm sido as vozes que têm reivindicado a reabertura do serviço de urgências durante as 24 horas do dia, sendo que chega agora uma resposta que se pode vir a revelar fulcral para o desfecho da situação.

De acordo com o deputado do PCP, António Filipe, que esteve presente na manifestação promovida pela CDU no último sábado à porta do Centro de Saúde de Coruche, o Ministério da Saúde não considera necessária a abertura do SAP de Coruche no período nocturno, devendo por isso manter-se o horário actualmente em vigor.

O Ministério da Saúde revelou esta decisão depois deste ter enviado uma interpelação à ministra Marta Temido, tendo este obtido uma resposta que considera “manifestamente insatisfatória”, isto porque “a resposta que nos foi dada por parte do gabinete da ministra da Saúde é que não consideravam que fosse necessária a existência de um serviço 24 horas”.

Esta resposta do Ministério da Saúde é para o PCP “inaceitável”. “Nós sabemos que este contexto de pandemia tem vindo a ser apresentada como justificação para haver menos prestação de cuidados de saúde em geral, outros serviços que têm vindo a ser prejudicados, outras valências têm vindo a ser prejudicadas, e isto é uma situação que nós não podemos aceitar”, refere, até porque ”a pandemia infelizmente está para ficar, não evidentemente com a gravidade que já teve, mas vamos ter que continuar a conviver com o Covid-19”.

Para o deputado além da pandemia estão também as sequelas provocadas pelo Covid-19 que necessitam de acompanhamento, pelo que “é preciso que haja não um abrandamento do Serviço Nacional de Saúde, mas o contrário, um reforço do Serviço Nacional de Saúde,” motivo pelo qual “a resposta dada pelo chefe de gabinete do Ministério da Saúde não nos satisfaz minimamente”, “é um sinal de falta de vontade política por parte do Governo para resolver esse problema e por isso é que a nossa luta tem de continuar”, concluiu prometendo assim novas formas de luta e reivindicação, sobretudo pela reabertura do SAP de Coruche no período nocturno.