Lavar as mãos é a medida mais económica e eficaz na prevenção de doenças

5 Maio 2021, 19:33 Não Por Redacção

“A higiene das mãos foi e será sempre a medida mais económica e mais eficaz na prevenção das doenças, qualquer que elas sejam.” A mensagem é da enfermeira Ana Grais, elemento do Grupo de Coordenação Local do Programa de Prevenção e Controlo das Infeções e da Resistência aos Antimicrobianos  (GCL-PPCIRA) do Hospital Distrital de Santarém (HDS), e surge a propósito do Dia Mundial da Higiene das Mãos, que se assinala esta quarta-feira, 5 de Maio.

“O hábito de higienizar as mãos com água e sabão quando visivelmente sujas ou usando a solução alcoólica quando não estão, deve ser para a vida e não apenas para quando uma pandemia assola a população”, frisa.

Ana Grais recorda que para além do aumento da frequência, a higienização das mãos para ser efetiva tem de cumprir passos que contemplem, durante a fricção, ambas as faces, dedos e punho. De outra forma, “será limitada a redução dos microrganismos presentes nas mãos assim como o seu efeito”.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 80% das doenças transmissíveis são transferidas entre as pessoas pelo toque e que 40% das contaminações por vírus e bactérias podiam ser reduzidas com a higienização correta das mãos.

A OMS lembra ainda que a higiene das mãos são “segundos que salvam vidas” e que mesmo após o fim da pandemia é fundamental que os hábitos de higienização das mãos permaneçam.