Habitações atingem valores recorde com subida de 13,2%

22 Setembro 2022, 11:52 Não Por Redacção

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), no segundo trimestre de 2022, o Índice de Preços da Habitação (IPHab) aumentou 13,2% em termos homólogos, 0,3 pontos percentuais (p.p.) acima do observado no trimestre anterior.

O aumento dos preços foi mais expressivo nas habitações existentes (14,7%) que nas habitações novas (8,4%).

Em relação ao trimestre anterior, o IPHab aumentou 3,1% (3,8% no 1º trimestre de 2022). Também neste caso, a taxa de variação do índice relativo aos alojamentos existentes (3,9%) superou a registada nos alojamentos novos (0,6%).

Entre Abril e Junho de 2022, foram transaccionadas 43 607 habitações pelo valor total de 8,3 mil milhões de euros, o que representa um aumento, face ao mesmo período do ano anterior, de 4,5% e 19,5%, respectivamente.

No segundo trimestre de 2022, 38 181 habitações (87,6% do total) foram adquiridas por compradores pertencentes ao sector institucional das famílias, totalizando 7,2 mil milhões de euros (86,7% do total).
No trimestre de referência, os compradores com um domicílio fiscal fora do Território Nacional foram responsáveis por 6,4% do número total de transacções (2 783 habitações), correspondendo a 11,9% do valor total transaccionado.

Entre Abril e Junho de 2022, transaccionaram-se 13 336 habitações na Área Metropolitana de Lisboa e 11 967 na região Norte. Estas duas regiões, no seu conjunto, representaram 58,0% do total das transacções, o que constituiu a mais baixa percentagem da série disponível.
Para além das duas regiões anteriormente mencionadas, o Centro, com um total de 9 014 transacções, foi a outra região a apresentar um decréscimo homólogo no respectivo peso relativo, representando 20,7% do universo de transacções.
No Algarve registaram-se 4 166 transacções, traduzindo-se num peso relativo de 9,6%, face a idêntico período de 2021.
As transacções de habitações localizadas no Alentejo fixaram-se em 3 322 unidades, 7,6% do total.
As transacções de alojamentos na Região Autónoma da Madeira ascenderam a 1 100 unidades, 2,5% do total. Na Região Autónoma dos Açores contabilizaram-se 702 transacções mantendo-se o peso relativo de 1,6%.

No trimestre de referência, o valor das habitações transaccionadas na Área Metropolitana de Lisboa fixou-se nos 3,5 mil milhões de euros (42,0% do total), enquanto as vendas de alojamentos na região Norte aproximaram-se dos 1,9 mil milhões de euros (22,3%).
Seguiram-se, em termos de maiores montantes de valores de transacções, o Algarve com um total de 1,2 mil milhões euros e a região Centro com 1,1 mil milhões de euros.
No Alentejo, o valor das transacções foi 369 milhões de euros, correspondendo a 4,5% do valor total.
As vendas de habitações na Região Autónoma dos Açores totalizaram 96 milhões de euros, enquanto na Região Autónoma da Madeira as transacções fixaram-se nos 227 milhões de euros.

__________________________________________________________________________________________