Golpe de calor e paragem de digestão levam Cuca Roseta a abandonar concerto na Erra e deixa população indignada

1 Agosto 2022, 22:00 Não Por João Dinis

A população de Vila Nova da Erra, Coruche, está indignada com a fadista Cuca Roseta, depois desta alegadamente ter abandonado o concerto para a qual foi contratada pela Comissão de Festas em Honra de Nossa Senhora do Vale, segundo Miguel Capucho, representante da cantora, por ter sofrido uma paragem de digestão, supostamente provocado por um golpe de calor.

O concerto com Cuca Roseta nas Festas da Erra estava agendado para este domingo, 31 de Julho, quando cerca de meia hora depois do seu início a famosa cantora portuguesa se terá sentido mal e abandonado o palco, sendo depois ‘substituída’ pela fadista local Beatriz Felizardo.

Miguel Capucho reagiu já em comunicado ao sucedido, pretendendo assim esclarecer toda a situação, que lamenta, salientando ainda que “fez de imediato a restituição de todos os valores pagos” à Comissão de Festas, depois desta ter negado o reagendamento do concerto, para o dia de hoje (segunda-feira) ou para um dia a acordar entre ambas as partes.

Segundo o manager da artista, esta cantou durante 35 minutos, o equivalente a oito músicas (Rua do Capelão, Chiça Penico, Negrita, Tiro-liro-liro, Finalmente, Porta do Beijo, Fado Corrido e Rosinha), quando “começou a sentir tonturas, enjoo e uma indisposição muito forte”.

Após finalizar a primeira parte do concerto, Cuca Roseta recolheu aos camarins, e segundo Miguel Capucho foi “a organização de imediato informada do que estava a acontecer”.

Com o objectivo de “ganhar tempo de recuperação da artista”, foi chamada ao palco a fadista Raquel Machado, bem como o próprio Miguel Capucho, ex-fadista que interpretou dois temas.
“Sabendo da presença de Beatriz Felizardo, chamei a artista para cantar mais quatro fados, que conhece e respeita, tentando ganhar mais tempo, e dando ao público o entretenimento com que contavam”, justifica o responsável da carreira de Cuca Roseta a presença da fadista local.

No local não havendo médicos, nem bombeiros, o manager chamou uma enfermeira disponível no local que avaliou, dentro do possível, uma eventual indisposição por calor, sugerindo à artista que abandonasse o local e pudesse por precaução, quando oportuno, ser avaliada através de um electrocardiograma”, referem em comunicado, lamentando que o estado de saúde de Cuca Roseta não tenha melhorado de modo a permitir que esta concluísse o espectáculo.

Segundo o seu representante Cuca Roseta esteve esta segunda-feira a ser avaliada por um especialista. Embora não havendo ainda um relatório médico, suspeita-se que os 42 graus que se fizeram sentir durante a tarde em Vila Nova da Erra tenham contribuído para o mau estar da artista.

Miguel Capucho lamenta toda a situação, de um concerto que acabou por ser adiado por duas vezes, em virtude da pandemia, e sobre o qual “também o management foi à altura sensível com as possibilidades da Comissão e fez uma redução de 50% do valor do mesmo.”

“Apesar de entendermos a frustração de uma Comissão de Festas que muito luta por concretizar estes tipos de concertos e às quais somos sempre sensíveis, também deve haver do lado contrário o melhor entendimento caso algum problema de saúde exista com os artistas, única salvaguarda que permite um adiamento de um concerto”, lê-se no comunicado da artista, que afirma ter “o mesmo empenho e gosto em cantar para grandes multidões ou pequenas aldeias”.

Miguel Capucho ressalva ainda “o modo menos digno como a Comissão conduziu o tema”, recusando-se a prestar mais esclarecimentos sobre o assunto e o que diz ser o “modo menos digno”.

O responsável refere ainda, que apesar de ter havido uma troca de localidades na agenda oficial da artista, publicada nas suas redes sociais, esta “sabe sempre onde vai cantar”, sendo primeiro referenciado o concelho e só depois o local.

Miguel Capucho termina o comunicado enviando “um agradecimento à artista Beatriz Felizardo pelo apoio dado na altura e no episódio vivido”, esperando que os esclarecimentos prestados possam servir a verdade e nada mais que a verdade.

O NS contactou também António Brotas, Juiz da Comissão de Festas da Erra, que nos referiu que neste momento a Comissão não irá reagir ao comunicado, prometendo no entanto esclarecer oportunamente a questão e todos aqueles que estiveram ao lado da Comissão nos últimos três anos.


Fotografia: CucaRoseta.com

__________________________________________________________________________________________