Distrimag instala-se nos Foros de Salvaterra vai distribuir para todo o país

18 Janeiro 2023, 15:38 Não Por João Dinis

A localização privilegiada e as boas acessibilidades fizeram com que Jorge Andrade tivesse escolhido, ainda em 2022, os Foros de Salvaterra para a implementação da Distrimag, a mais recente empresa portuguesa distribuidora de publicações, depois de um período de mais de trinta anos em que ninguém em Portugal investia na área da distribuição de publicações.

Apesar de estar desde meados do ano 2022 instalada e todo o armazém adaptado às necessidades da empresa, apenas a 2 de Janeiro iniciou a distribuição em todo o país, depois de ultrapassadas as questões legais e contratuais.

A localização, um ponto central do país, a proximidade à Auto-Estrada e as excelentes infraestruturas do armazém fizeram com que escolhêssemos os Foros de Salvaterra”, explica-nos o CEO da Distrimag, Jorge Filipe Andrade, que nos apresenta a sua empresas como uma distribuidora nacional de revistas, sendo a única alternativa no mercado para distribuição de publicações em Portugal.

Actualmente com sete funcionários, onde apenas um é residente no concelho de Benavente, tendo sido os restantes recrutados no concelho de Salvaterra de Magos e mesmo nos Foros de Salvaterra, a Distrimag é especializada na distribuição de publicações não diárias, “no mínimo com uma tiragem mensal”, explica-nos Jorge Andrade, referindo que só com este tipo de publicações a empresa se mantém estável e o serviço prestado pode ser de excelência.

Sofia Carvalho, Directora de Operações da Distrimag salienta o facto do recrutamento ter sido relativamente fácil, deixando no entanto o reparo da dificuldade em encontrar alguma mão de obra especializada, dando o exemplo do analista de dados, que tiveram alguma dificuldade em recrutar, mas acabaram por encontrar alguém com o perfil desejado no concelho vizinho.

A empresa presta um serviço de excelência aos seus clientes, editoras e pontos de venda, tendo uma diferenciação no embalamento, que permite que as publicações cheguem intactas ao consumidor.
Apostamos na diferenciação, as nossas publicações não são enviadas do modo normal, optamos por ter um acordo com uma transportadora nacional, que faz chegar as revistas ao continente e ilhas, e enviar as revistas numa caixa, devidamente acondicionadas, o que permite que estas cheguem em perfeitas condições, não estando amolgadas, rasgadas ou húmidas”, explica-nos o responsável, enquanto nos mostra a linha de montagem que está instalada no armazém e onde são preparadas as encomendas, que depois seguem para os mais variados destinos do Continente, Açores e Madeira.

No momento a Distrimag está com a distribuição da editora Okupámente, empresa líder em Portugal na publicação de revistas de passatempos, estando a negociar com outras editoras a distribuição das suas publicações, fazendo no entanto já negócio com os grandes grupos de distribuição e venda, como algumas das grandes cadeias de super e hipermercados, gasolineiras e quiosques, o que garante uma estabilidade e grande perspectiva de crescimento no futuro.

O processo de distribuição é bastante simples, um analista verifica o número de publicações a ser enviadas a cada estabelecimento, de acordo com as suas dimensões e volume de vendas acumulado, chegando depois a encomenda à linha de preparação, onde os funcionários fazem todo o processo de embalamento e expedição das encomendas.

Posteriormente, e como todas as vendas da Distrimag são feitas à consignação, existe o processo de retorno das publicações não vendidas, que seguem depois para a reciclagem, sendo as boas práticas ambientais também uma das preocupações da empresa, contando para isso com uma área específica.

Jorge Andrade destaca ainda o papel do Presidente da União de Freguesias de Salvaterra de Magos e Foros de Salvaterra, Manuel Bolieiro, que não só foi fundamental no processo de aluguer do armazém, como foi também imprescindível no recrutamento de alguns funcionários.

A Distrimag, que realizou um investimento inicial a rondar os 350 mil euros, prepara já o futuro e as suas expectativas de crescimento, tendo já encetado conversações para a construção de um novo pavilhão anexo àquele onde estão instalados, e de onde saem as publicações para todo o continente e ilhas.

____________________________________________________________