Director do Agrupamento de Escolas Ginestal Machado recusou-se a colaborar com a PSP no caso das agressões

27 Fevereiro 2024, 17:53 Não Por André Azevedo

O director do Agrupamento de Escolas Ginestal Machado, António Pina Braz, recusou-se a colaborar com a investigação da Polícia de Segurança Pública, segundo apurou o NS junto de fonte policial.

Os agentes encarregados da investigação estiveram na escola na segunda-feira para identificar as alunas envolvidas nas agressões que aconteceram na quinta-feira, 22 de Fevereiro, na escola Mem Ramires, parte do agrupamento.

António Pina Braz recusou-se em facultar as informações das alunas aos agentes, até, alegadamente, conversar com os encarregados de educação das alunas.

Lucélia Oliveira, mãe da aluna de 14 anos agredida, revelou ao jornal brasileiro “O Globo” que apresentou queixa nas autoridades, o que desencadeou a investigação.

Ao mesmo jornal a mãe da jovem refere ainda que a filha recebeu assistência hospitalar e que apresenta vários hematomas, mas que já regressou à escola.

O NS contactou o director do Agrupamento de Escolas Ginestal Machado para esclarecer os motivos de recusar colaborar com a investigação e para perceber que medidas serão tomadas em relação à agressora, mas até ao momento ainda não obteve qualquer resposta.

________________

_____________________

_____________________