Deputados do PS querem nova região administrativa para a Lezíria, Médio Tejo e Oeste para facilitar acesso a fundos

19 Julho 2021, 21:02 Não Por Redacção

A criação de uma região administrativa que abranja a Lezíria do Tejo, Médio Tejo e Oeste como forma de facilitar o acesso a apoios comunitários é a pretensão dos deputados do PS eleitos pelo distrito de Santarém, Hugo Costa, António Gameiro, Mara Coelho e Manuel Afonso, juntamente com o deputado João Miguel Nicolau, da Federação Regional do Oeste, e a deputada Vera Braz, natural de Azambuja que no âmbito de um projecto de resolução, apresentado a 16 de Julho, os levou a recomendar ao Governo a alteração como forma de “potenciar um desenvolvimento da região mais robusto alicerçado também no aumento dos fundos de coesão que esta nova região poderá vir a receber”.

No documento os deputados referem que as Comunidades Intermunicipais da Lezíria do Tejo, Médio Tejo e Oeste assinaram, em Santarém, a 17 de Junho, um memorando de entendimento que vai no mesmo sentido e solicita ao Governo “a criação de uma NUT II resultante da agregação das NUT III Lezíria do Tejo, Médio Tejo e Oeste, desagregando-as do Alentejo e Centro”.

As Nomenclaturas das Unidades Territoriais para Fins Estatísticos, designadas por NUT, são “divisões determinadas a nível europeu que promovem não apenas a agregação de dados estatísticos, mas também a distribuição de fundos comunitários pelas regiões de um determinado país”, explicam os deputados.

Esta proposta de alteração, no âmbito da reestruturação das NUT II, “permitirá, ao mesmo tempo, juntar estas regiões numa NUT II coesa, acabando com a divisão da região por outras NUT II de realidades distintas”, argumentam. A futura NUT abrangerá mais de 800 mil habitantes num total de 36 concelhos.


Fotografia: Direitos Reservados