CTT lançam selo solidário com o povo da Ucrânia e receitas revertem para a (re)construção do país

27 Setembro 2022, 19:15 Não Por Redacção

Os CTT – Correios de Portugal lançaram esta semana um selo solidário para com o povo ucraniano, cujo valor das receitas de venda será convertido, integralmente, em donativos dos CTT, para contribuir para melhorar a situação dramática que se vive no país, acções que serão realizadas em estreita colaboração com a Embaixada da Ucrânia em Portugal.

De acordo com os CTT, esta emissão é composta por um selo, com um valor facial de 0,95€ e uma tiragem de 75 mil exemplares. “Nesta peça filatélica exclusiva – Rising Sun – o azul de fundo a representar o céu contrasta com um Sol no horizonte, levando simbolicamente até à Ucrânia a esperança e a fé de que dias mais brilhantes virão”, referem.

Esta iniciativa surge no âmbito da política de solidariedade dos CTT e, desta vez, através de um selo, mas não por acaso. “O selo também é – sempre foi – um arauto de Paz. Tem uma expressão ecuménica, solidária e formativa. Une os Povos e as Nações. Facilita a comunicação, leva e traz mensagens de todos os tipos, a todos os cantos da Terra. Desta forma, os CTT − Correios de Portugal decidiram utilizar a figura do Selo de Correio para exprimir a maior solidariedade para com o povo ucraniano nesta presente conjuntura, emitindo este selo desenhado pelo nosso prestigiado designer, Professor João Machado”, lê-se num dos textos da pagela desta emissão, assinado pelo CEO dos CTT, João Bento.

O outro testemunho que integra esta pagela é marcado pela emoção, face ao gesto dos CTT, e de agradecimento, a Portugal. Assinado pelo Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, as primeiras palavras dirigem-se a todos os portugueses: “Caros Amigos”.

“A Ucrânia e Portugal nunca estiveram tão próximos como agora. Nunca antes o sentimento de pertença de ucranianos e portugueses a uma casa europeia comum foi tão forte. Agradecemos a todos e a cada um de vós que apoiam a Ucrânia e a nossa luta pela liberdade. Apreciamos o apoio de Portugal na área de defesa, assistência humanitária e financeira. Estamos sinceramente emocionados pelo enorme suporte da sociedade portuguesa à pretensão dos ucranianos de se juntarem a vós na União Europeia. É nossa convicção que os portugueses continuarão ao lado da Ucrânia até à nossa vitória comum”, lê-se num pequeno excerto.

As obliterações de primeiro dia podem ser feitas nas Lojas CTT dos Restauradores, em Lisboa, Palácio dos Correios, no Porto, Zarco, no Funchal e Antero de Quental, em Ponta Delgada.

Recorde-se que, em fevereiro – quando a Rússia invadiu a Ucrânia – os CTT aproveitaram a capilaridade da sua rede e organizaram uma ação de recolha de bens, que permitiu enviar 40 toneladas de donativos para ajudar o povo ucraniano.

______________________________________

_______________________________________________________________