Coruche e Salvaterra de Magos recebem 500 doses da vacina contra a Covid-19 esta semana

Coruche e Salvaterra de Magos recebem 500 doses da vacina contra a Covid-19 esta semana

16 Fevereiro 2021, 22:16 Não Por João Dinis

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) da Lezíria vai iniciar esta quarta-feira, 17 de Fevererio, a vacinação contra a covid-19 nos nove concelhos do distrito de Santarém que abrange, indo aplicar 1.700 doses, sendo que os concelhos de Coruche e Salvaterra de Magos vão receber 250 doses cada, que serão dadas a pessoas com mais de 80 anos, ou entre os 50 e 79 anos, que doenças associadas, que os torna assim prioritários.

Carlos Ferreira, director do ACES da Lezíria, em declarações à Agência Lusa, afirmou que, “depois de um primeiro lote de 102 vacinas que foi administrado segunda-feira apenas a utentes com mais de 80 anos referenciados pelas Unidades de Saúde Familiar do concelho de Santarém, as 1.700 doses entretanto recebidas permitem alargar, a partir de quarta-feira, a vacinação aos restantes concelhos”, sendo que entre quarta e sexta-feira, vão chegar doses da vacina contra a Covid-19 à Casa do Campino, em Santarém (300 doses), e nas unidades de saúde de Rio Maior (250 doses), Almeirim (250 doses), Salvaterra de Magos (250 doses), Coruche (250 doses), Cartaxo (250 doses), Alpiarça (50 doses), Chamusca (50 doses) e Golegã (50 doses).

Carlos Ferreira adiantou que foram já recebidas mais 830 doses para aplicar no início da próxima semana.

Por outro lado, prossegue ainda esta semana a vacinação em lares dos concelhos da Chamusca, Salvaterra de Magos e Rio Maior, que não foram abrangidos nas fases anteriores por estarem com surtos activos, entretanto resolvidos.

A aplicação da segunda dose foi já concluída nas Estruturas Residenciais Para Idosos (ERPI) dos concelhos de Rio Maior, Alpiarça, Chamusca e Golegã, Santarém, Almeirim, Salvaterra de Magos, Coruche e Cartaxo, onde não existiram surtos.

Entre sexta-feira e hoje foram igualmente vacinados, com a primeira dose, um total de 305 bombeiros que não tinham ainda recebido a vacina, ficando apenas por inocular os que estão infectados.

Os elementos das corporações de bombeiros recebem a vacina da AstraZeneca, que implica uma segunda dose passados 28 dias (ao invés dos 21 dias da Pfizer, que está a ser aplicada nos lares e à população), tendo sido possível alargar a vacinação a elementos das equipas da Cruz Vermelha e a 53 pessoas entre os 50 e os 65 anos com comorbilidades, acrescentou.


Com Agência Lusa