Cavalo infectado com vírus do Nilo em Coruche coloca autoridades em alerta

2 Outubro 2021, 18:32 Não Por João Dinis

A detecção de um cavalo infectado com o vírus do Nilo Ocidental, na Herdade do Peso, no concelho de Coruche, leva as autoridades de Protecção Civil e Saúde a estarem a tentas e monitorizarem toda a situação, tentando evitar a eventual propagação da doença.

De acordo fontes oficiais ligadas ao processo, a detecção surgiu após o cavalo apresentar sintomatologia compatível com a doença, que se veio a confirmar através de análises, cuja confirmação surgiu em meados de Setembro.

A Autoridade Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo, em parceria com a Direcção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) realizaram já uma visita à Herdade do Peso, com o objectivo de avaliar os riscos para a saúde pública.

De acordo com as conclusões remetidas pela ARS, os mesmos consideram que o risco para a saúde pública é baixo, “porque o caso de infecção num equídeo ocorreu há cerca de um mês e entretanto não foram identificados outros casos em aves, equídeos ou humanos”, considerando estes que este é um “caso isolado”.

A ARS refere ainda que “não foram identificados locais que favoreçam grandes concentrações de mosquitos e as características do próprio local (largas extensões de terreno com baixíssima concentração demográfica) funcionam como barreira à propagação”, acrescentando que estamos no final da época de transmissão do vírus.

Apesar da baixa perigosidade, a ARS refere ainda que determinou medidas preventivas de acordo com a situação, nomeadamente a vigilância sanitária e a montagem de armadilhas de mosquitos, tendo já sido capturados espécimes que seguiram para análise no Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) de forma a verificar se há espécimes contaminados na zona.

Casos detectados em Sevilha

No mês de Agosto foram detectados alguns casos na província espanhola de Sevilha, tendo mesmo sido registado um óbito de uma septuagenária. Já em Setembro foi detactado um novo caso em humanos, numa pessoa que teve mesmo que receber tratamento hospitalar numa unidade de cuidados intensivos.

O que é o vírus do Nilo Ocidental

A febre do Nilo, também conhecida como doença do Nilo Ocidental, é uma infecção causada pela picada do mosquito do gênero Culex infectado pelo vírus do Nilo Ocidental.

Apesar de ser pouco frequente, a febre do Nilo acontece mais facilmente em idosos, porque possuem o sistema imunológico mais fragilizado, o que torna mais fácil a infecção e o desenvolvimento dos sintomas da doença.

Os sintomas da febre do Nilo normalmente surgem 14 dias após a picada do mosquito infectado e podem variar desde uma febre passageira até meningite, em que o vírus atinge e inflama a membrana que envolve o cérebro e a medula, podendo nesses casos surgir dor muscular, dor cabeça e rigidez no pescoço.

A maioria dos casos de febre do Nilo não leva ao aparecimento de sinais ou sintomas significativos, no entanto quando a pessoa possui o sistema imunológico mais fragilizado, como é o caso de crianças, idosos, grávidas ou pessoas com doenças crónicas, é possível notar o aparecimento de sintomas até 14 dias após a infecção com o vírus.

Em casos mais graves, quando a doença não é identificada e tratada,  ou quando a pessoa possui o sistema imunológico muito comprometido, é possível que o vírus atinja o sistema nervoso e leve a complicações graves como encefalite, poliomielite ou meningite, principalmente, que é caracterizada pela rigidez na nuca.  

Ainda não existe vacina ou tratamento específico para tratar a febre do Nilo ou para eliminar eficazmente o vírus do corpo, e por isso o tratamento é feito apenas para aliviar os sintomas relacionados com a doença. Para isso podem ser utilizados alguns remédios, como Paracetamol ou Metoclopramida, por exemplo, que devem ser tomados de acordo com a recomendação do médico.

Nos casos mais graves pode ainda ser necessário o internamento, para que seja feito o acompanhamento adequado e seja realizado tratamento com soro na veia para hidratar, podendo também ser necessária a utilização de máquinas para ajudar a pessoa a respirar.


Imagem Ilustrativa / Direitos Reservados