Campanha “Viajar sem Pressa” alerta condutores e passa pelo Vale do Sorraia

20 Abril 2021, 9:47 Não Por Redacção

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Polícia de Segurança Pública (PSP) deram início esta terça-feira, 20 de Abril, à Campanha de Segurança Rodoviária “Viajar sem Pressa”, inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2021, que irá passar pelo Vale do Sorraia.

A decorrer entre os dias 20 e 26 de Abril, a campanha tem como objectivo alertar os condutores para os riscos da condução em excesso de velocidade, sendo esta uma das principais causas dos acidentes nas estradas.
Num atropelamento, a probabilidade de existirem vítimas mortais aumenta em proporção da velocidade. Se um veículo circular a 30 km/h a probabilidade de atropelar alguém mortalmente é de 10%. Aumentando a velocidade para 50km/h essa probabilidade passará a ser de 80%: uma pequena diferença na velocidade do veículo pode fazer uma grande diferença nas consequências do acidente.

A campanha irá integrar acções de sensibilização da ANSR, operações de fiscalização, pela GNR e pela PSP, com especial incidência no cumprimento das regras do código da estrada e legislação complementar relativas à velocidade e fiscalização 24/24 horas da ANSR através da sua rede de radares (SINCRO), estando as acções de fiscalização distribuídas de norte a sul do país, com destaque para a levada a cabo no dia 26 de Abril, na E.N.118, ao quilómetro 31.200, no Porto Alto, freguesia de Samora Correia.

O Plano Nacional de Fiscalização, enquadrado no Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária – PENSE 2020, o qual tem como desígnio “Tornar a Segurança Rodoviária uma prioridade para todos os Portugueses”, prevê a realização de campanhas de sensibilização em simultâneo com operações de fiscalização, em locais onde ocorrem regularmente infracções que representam um risco acrescido para a ocorrência de acidentes.

A sinistralidade rodoviária não é uma fatalidade e as suas consequências mais graves podem ser evitadas através da adopção de velocidades adequadas e respeitando os limites legais, alerta a ANSR.