Câmara de Coruche mantém taxas de IRS, IMI e Derrama em 2022

26 Novembro 2021, 17:31 Não Por João Dinis

 

 

A Câmara Municipal de Coruche aprovou esta quarta-feira, em reunião de câmara, as taxas de IRS, IMI e Derrama para o ano 2022, a aplicar a munícipes e empresas do concelho de Coruche.

O Município irá manter as taxas do ano anterior, num equilíbrio entre o apoio às famílias e o orçamento municipal, sendo que não existiu unanimidade entre os deputados municipais das diversas forças políticas eleitas.

A taxa de participação variável em IRS manter-se-á nos 3%, num máximo de 5%. Esta proposta apresentada pelo executivo socialista, foi aprovada com os votos favoráveis do PS e CDU, e com o voto contra do vereador do PSD, Alexandre Neves, que entende que o município poderia baixar a taxa em 1 ponto percentual, proposta que não foi viabilizada pelos restantes membros do executivo.
Por sua vez a CDU, que aprovou a proposta socialista, entende que é necessário criar condições para a fixação de empresas e pessoas, de modo a que se possa gerar riqueza, que permita fazer baixar um imposto cobrado aos munícipes e que representa cerca de 400 mil euros/ano.

A taxa de IMI, que representa um dos maiores encaixes de receitas do município, cerca de 1,5 milhões de euros anuais, irá manter-se nos 0,33%, num máximo de 0,45%, valor igual a 2020, mantendo o município a IMI familiar, que dará um desconto de 20 euros a agregados familiares com 1 filho, 40 euros com 2 filhos e 70 euros com 3 ou mais dependentes.

O município irá ainda efecutar uma majoração de 30% no valor do IMI a cobrar a proprietários de prédios devolutos, como medida de incentivo aos proprietários a cuidar dos seus imóveis, sobretudo nas Áreas de Reabilitação Urbanas, onde são visíveis diversos prédios bastante degradados.

Esta proposta do executivo PS foi aprovada com os votos dos vereadores socialistas, tendo a CDU apresentado uma proposta de descida do imposto para 0,30%, que foi chumbada, bem como a proposta do PSD, que apresentou uma proposta de 0,32%.

Também a taxa da Derrama, valor que a autarquia cobra aos lucros das empresas, em sede de IRC, se irá manter. Para as empresas sedeadas no concelho de Coruche, com lucros até 150 mil euros, a taxa a cobrar será de 0,25%,  mantendo a taxa aplicada no ano anterior.
As empresas com lucros superiores a 150 mil euros vão continuar a contribuir com 1% dos lucros para o município de Coruche.

A proposta foi aprovada com os votos do PS e CDU, e com o voto contra do PSD, que pretendia uma taxa zero na derrama das empresas.

De salientar ainda o discurso da Vice-Presidente da Câmara Municipal de Coruche, Fátima Galhardo, que presidiu à reunião, que deixou no ar uma possível descida dos impostos até final do mandato, não anunciando no entanto para que anos prevê o executivo descer os impostos a cobrar aos cidadãos e empresas, que em Coruche continuam a ser dos mais baixos do distrito de Santarém.