Câmara de Benavente incentiva jovens a combater desperdício alimentar

5 Maio 2021, 13:58 Não Por Redacção

Na sequência da campanha levada a cabo pela Câmara Municipal de Benavente de combate ao desperdício alimentar, a autarquia implementou um projecto nas escolas do primeiro ciclo, que visa consciencializar os alunos para respeitarem a comida e reduzirem o desperdício.

Com a adesão ao projecto “Unidos Contra o Desperdício”, esta é uma das diversas acções levadas a cabo pela autarquia de Benavente, que visa agora alertar os mais jovens para a forma como produzimos, processamos e consumimos alimentos actualmente, porque apesar de nos países desenvolvidos se comer muito, comesse mal e o reflexo disso é os 2 milhões de pessoas que sofrem com obesidade ou têm doenças relacionadas com a alimentação.

Apesar de nos últimos 50 anos, a nossa capacidade para produzir alimentos ter aumentado quase 300%, o número de pessoas com fome não diminuiu. Nos últimos 3 anos aumentou para 820 milhões.

Simultaneamente, um terço dos alimentos produzidos em todo o mundo são desperdiçados, o que representa cerca de 1,3 bilião de toneladas por ano. Em média, cada português desperdiça 97 kg de alimentos por ano.

O combate ao desperdício alimentar é da responsabilidade de todos nós e para responder a este problema é necessário mobilizar toda a comunidade. Neste sentido, a Câmara Municipal de Benavente está a implementar um projecto para os alunos do 1° ciclo, com o objectivo de avaliar a dimensão do desperdício alimentar nos refeitórios escolares e posteriormente intervir de forma a reduzi-lo para níveis aceitáveis.
As crianças são os consumidores que vão moldar o cenário de desperdício alimentar no futuro e que, por isso, devem ser formados e educados no sentido de terem um consumo mais responsável e sustentável.

Na primeira fase do projecto, que decorreu durante as duas primeiras semanas de Abril, foi quantificado o desperdício alimentar resultante de alimentos que são servidos e que os alunos não consomem, isto é, alimentos que são deixados nos pratos.

Os resultados globais obtidos revelam que 37% dos alimentos servidos foram desperdiçados, o que significa que 1 em cada 3 refeições foi para o lixo. Sendo o acompanhamento de hortícolas o componente do prato que os alunos mais desperdiçam, cerca de 70%. Estes valores são preocupantes, no entanto, são semelhantes aos encontrados em vários estudos realizados noutros refeitórios escolares, traduzindo uma realidade que é, provavelmente, comum a todas as escolas do país.

Vários factores podem contribuir para estes valores de desperdício alimentar: lanche da manhã pouco saudável e com elevado conteúdo em gordura saturada, contribuindo para que as crianças tenham pouca fome à hora do almoço, oferta de refeições desadequadas às preferências das criança, capitações excessivas, pouco tempo para fazerem a refeição e poucos adultos a acompanharem as refeições.
As refeições escolares são refeições saudáveis, completas, equilibradas e nutritivas que contribuem para a saúde e para o desenvolvimento físico e cognitivo das crianças. Quando estas não consomem uma parte significativa das refeições, significa que não estão a beneficiar da totalidade dos nutrientes oferecidos, o que é particularmente preocupante no caso dos nutrientes presentes na sopa, saladas e fruta, que são tendencialmente menos consumidos por esta população.

Nas próximas semanas irão decorrer várias acções de sensibilização para os alunos do 1º ciclo. O objectivo é sensibilizar toda a comunidade, alunos, professores, pais e funcionários para este problema e juntos encontrar soluções. É necessário mudar atitudes e comportamentos em relação a este bem essencial para todos. O apelo é o seguinte: “Vamos mudar esta realidade, pela nossa saúde e do planeta! Juntos vamos reduzir o desperdício alimentar!”.