Bombeiros de Samora Correia formados com as mais inovadoras técnicas de emergência(com Fotos)

22 Janeiro 2023, 20:55 Não Por João Dinis

O quartel dos Bombeiros Voluntários de Samora Correia recebeu este fim-de-semana o segundo “turno” da formação de Trauma Pré Hospitalar, com o objectivo de aperfeiçoar e munir os operacionais das mais inovadoras técnicas do socorrismo.

A formação em “Pre Hospital Trauma Life Support (PHTLS)” foi ministrada por formadores da Ocean Medical, com a particularidade de a grande maioria deles estar ligada ao Instituto Nacional de Emergência Médica.

A formação ministrada aos Bombeiros de Samora Correia foi centrada no desenvolvimento das competências necessárias para uma rápida avaliação, reanimação, estabilização e transporte duma vítima de trauma, tendo sido para isso criados diversos cenários ao longo do fim-de-semana, como um atropelamento, um trauma com uma grávida ou um cenário decorrente de um assalto com uma pessoa baleada.

Em casa exercício os formandos eram acompanhados por um especialista, que desde a abordagem ao doente até aos cuidados a ter com a vítima lhes ministrava todos os aperfeiçoamentos necessários. No final eram debatidas todas as questões e explicado o que correu bem e menos bem.

Pedro Vasconcelos, formador da Ocean Medical explicou ao NS que “o objectivo é fazer a actualização de conhecimentos e de competências no sentido de dotar as equipas daquilo que é o conhecimento mais actual na abordagem à vítima do trauma”, bem como “sistematizar essa abordagem em contexto trabalho de equipa e linkado aquilo que é evidência que nós sabemos e que nos dá maior segurança e melhor qualidade de cuidados para o doente vítima de trauma.”

Com esta formação os Bombeiros de Samora Correia ficaram com o conhecimento das mais recentes técnicas de socorrismo, pelo menos “em relação àquilo que nós sabemos hoje”, salienta o formador, “porque amanhã garantidamente vai haver novos dados e mais conhecimentos que vão obrigar essa actualização que é constante.”

A escolha dos cenários recriados está muito relacionada com os traumas que se vão tornando mais recorrentes, como as trotinetas, que Pedro Vasconcelhos considera mesmo “um problema epidemiológico que vamos vivendo nos últimos anos”, e cujos recursos utilizados são muitas vezes também aplicados nos acidentes rodoviários com as quais as equipas de socorro “lidam todos os dias e convém actualizar conhecimentos e treinar.”

Sobre o socorrismo em Portugal, o enfermeiro do INEM considera que estamos garantidamente melhor que há anos atrás, “é injusto nós dizermos que hoje não estamos melhor do que estávamos há 20 anos, claro que estamos, mas é sempre possível melhorar”, algo que os Bombeiros de Samora Correia pretenderam fazer com esta formação.

Para o Adjunto de Comando dos Bombeiros de Samora Correia, Bruno Pereira, o objectivo deste importante investimento na formação de todos os bombeiros que efectuam transporte de doentes urgentes foi um reforço na capacitação e conhecimentos dos operacionais.
A emergência hospitalar é, sem dúvida alguma, o que mais fazemos”, pelo que “quanto mais qualidade tiver, melhor para os nossos cidadãos, principalmente”, o que torma a formação uma das preocupações da corporação.

Termos tido a possibilidade de formar a estes 24 elementos com o curso de PHTLS é uma mais-valia, sem dúvida alguma, e tenho garantidamente que os padrões do corpo bombeiros vão aumentar”, salienta, pois esta formação permite “solidificar a formação que já têm e aprender novas técnicas e novas ferramentas”.

Apesar da corporação ter realizado um grande investimento financeiro nesta formação, fê-lo com o objectivo de também aumentar a segurança de todos os que vão necessitar dos cuidados das equipas de socorro, “quando falamos na qualidade, falamos naturalmente na segurança do tripulante e no benefício das nossas vítimas”, tendo havido neste fim-de-semana também a possibilidade dos operacionais poderem obter também conhecimentos e contactos com equipas médicas que realizaram o curso de International Trauma Life Support (ITLS), que permitiu aos bombeiros não só aperfeiçoar o básico, “que é aquilo que fazemos em imobilizações trauma” mas também “o acompanhamento do suporte avançado de vida”.

____________________________________________________________