Benavente acolhe empresa de produção de hidrogénio verde

12 Julho 2021, 17:41 Não Por João Dinis

O concelho de Benavente irá receber a mais recente unidade de produção de hidrogénio verde, num investimento da Fusion-Fuel, com a aquisição de uma fábrica de 14.333 m2.

De acordo com o comunicado da Savills, empresa que assessorou a transacção do imóvel, “as novas instalações industriais vão ser totalmente remodeladas e automatizadas, garantindo a capacidade necessária para produzir electrolisadores e assim desenvolver parques de produção que permitam produzir um cada vez maior volume de hidrogénio verde”, não sendo no entanto referido o valor do investimento a realizar no concelho de Benavente, bem como o número de postos de trabalhos criados pela empresa Irlandesa, que possui já uma filial em Almargem do Bispo.

O actual mercado mundial de hidrogénio cifra-se em cerca de 150 mil milhões de euros, e estima-se que o mesmo seja sete vezes superior dentro de vinte anos. A UE ambiciona adquirir, só por si, cerca de 40 GW de electrolisadores instalados até 2030, e neste âmbito a empresa portuguesa prevê chegar a 2026 com capacidade instalada capaz de produzir mais de 100 mil toneladas de hidrogénio verde por ano, cerca de 550 megawatts de energia limpa por ano, por via da sua tecnologia revolucionária de electrolisadores HEVO-SOLAR.

Para Samuel Lima, Senior Consultant do departamento de Industrial e Logística da Savills, “é muito gratificante acompanhar empresas portuguesas com esta importância, que contribuem para um planeta mais sustentável, reduzindo a pegada ecológica a nível mundial. Por outro lado, apraz-nos colocar o nosso know-how do mercado ao serviço dos investidores e operadores, permitindo encontrar as soluções mais exigentes e específicas, como é exemplo este processo”.

Fundada em 2018, e sediada no concelho de Sintra, a Fusion-Fuel começou por desenvolver a tecnologia Hevo-Solar, um gerador de Hidrogénio verde fotoquímico, que permite a produção descentralizada de hidrogénio verde a partir de energia solar.

Com esta tecnologia disruptiva e em linha com o seu objectivo de alcançar um rápido crescimento, a empresa portuguesa efectuou um processo de fusão com o fundo norte-americano HL Acquisitions (SPAC). Por via desta transaçcão, foi criado o grupo Fusion-Fuel, cuja holding passou a ser cotada na Bolsa de Wall Street, no índice Nasdaq (HTOO), em Dezembro de 2020.

Miguel Lourenço, Head of Business Management da Fusion Fuel, afirma que “esta operação, em conjunto com o aumento de capital realizado simultaneamente, permitiu uma capitalização inicial de cerca de 60 milhões de euros, sendo que um valor a rondar os 30 milhões de euros se destinam a investimento com o propósito de dotar a empresa com uma capacidade de produção de electrolisadores à escala industrial, fruto da concepção e desenvolvimento, já em curso, de linhas de produção altamente robotizadas. O grupo Fusion-Fuel planeia efectuar um volume de investimentos total de cerca de 570 milhões de euros até 2025”.


Fotografia: Direitos Reservados