ADOP suspende José Neves por três anos

4 Outubro 2022, 13:57 Não Por Redacção

A Autoridade Antidopagem de Portugal (ADOP) suspendeu esta terça-feira, 4 de Outubro, o ciclista José Neves, natural do concelho de Coruche e que se viu envolvido no escândalo da W52-FC Porto, por alegada utilização de doping nos seus ciclistas.

De acordo com a ADOP José Neves foi suspenso por três anos, por “posse de substância proibida e método proibido”, nomeadamente “hormona de crescimento humana”.

Além de José Neves, foram também suspensos os ciclistas da W52-FCPorto João Rodrigues, sete anos, Rui Vinhas, Ricardo Mestre, Ricardo Vilela, Daniel Mestre e Samuel Caldeira, por um período de três anos cada.

Recorde-se que no final de Abril, 10 ciclistas da W52-FC Porto foram constituídos arguidos e o director desportivo da equipa, Nuno Ribeiro, foi mesmo detido, assim como o seu adjunto, José Rodrigues, no decurso da operação ‘Prova Limpa’, a cargo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto.

Na operação policial, “foram apreendidas diversas substâncias e instrumentos clínicos, usados no treino dos atletas e com impacto no seu rendimento desportivo”, detalhou então a Polícia Judiciária.

Em 15 de julho, oito ciclistas (João Rodrigues, Joni Brandão, Rui Vinhas, Ricardo Mestre, Ricardo Vilela, José Gonçalves, Samuel Caldeira e Daniel Mestre) foram suspensos preventivamente pela Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP), que, em finais de agosto, suspendeu também José Neves e Jorge Magalhães.

A União Ciclista Internacional (UCI) viria a retirar a licença desportiva à W52-FC Porto antes da Volta a Portugal.

______________________________________

_______________________________________________________________